Respiratória & Imunologia


Nosso foco

A AstraZeneca possui liderança na área de doenças respiratórias e nossos medicamentos já beneficiaram mais de 53 milhões de pacientes tratados com terapias agudas ou de manutenção. Com base na tradição de mais de 50 anos em cuidados respiratórios, nosso objetivo é transformar os tratamentos da asma e da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), buscando combinações de medicações, dispositivos inalatórios e medicamentos biológicos, além de terapias que visam transformar o controle da doença.

Mas o nosso trabalho não acabou. Continuamos nos dedicando à ciência para desenvolver terapias inalatórias e biológicas, combinações de medicamentos e dispositivos exclusivos para oferecer tratamentos cada vez mais adaptados às necessidades dos pacientes.

As doenças pulmonares crônicas são causadas por um sistema imunológico alterado. A AstraZeneca está desenvolvendo um portfólio de medicamentos biológicos que têm como alvo as células e vias imunológicas que desempenham um papel central no desenvolvimento, persistência e progressão de doenças como a asma grave e a DPOC.


Avanço científico na área Respiratória & Imunologia para os pacientes

Ouça a opinião da equipe da AstraZeneca que trabalha no desenvolvimento da ciência de ponta com o nosso pipeline crescente em Respiratória e Imunologia.

 


Necessidades médicas ainda não descobertas

Melhorar os desfechos dos pacientes com tratamentos, dispositivos e instrumentos de apoio.


Impacto global das doenças respiratórias

Queremos contribuir para aumentar a conscientização sobre às necessidades médicas ainda não atendidas em asma, DPOC e fibrose pulmonar idiopática (FPI). Estima-se que a asma afete mais de 6 milhões de brasileiros1, levando à óbito cerca de 3 a 5 pessoas diariamente no país.2 Já a DPOC, atinge cerca de 12% da população adulta no Brasil.3 Estudos internacionais mostram que a FPI acomete cerca de 10 a 20 indivíduos para cada 100 mil pessoas. 4

Tratamentos inalatórios e novas combinações

Buscamos otimizar nosso portifólio de medicamentos inalatórios para melhorar as opções e os resultados dos pacientes em todos os aspectos das doenças.

Tratamentos biológicos dirigidos

Usando novos entendimentos científicos sobre a biologia de doenças respiratórias e fenótipos de pacientes para criar tratamentos biológicos direcionados.

Referências:

1. Gina no Brasil: https://www.ginanobrasil.org.br/mortes-por-asma-2016
2. Pesquisa quantitativa: “A asma na visão e na vida dos brasileiros”, realizada pela Abril Inteligência com apoio da AstraZeneca entre outubro e novembro de 2018. Coleta de dados via web com 1810 respondentes, 1.600 não asmáticos e 210 asmáticos.
3. ASBAI - Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. DPOC: Estimativa é que 12% da população adulta tenha a doença. Disponível em: https://asbai.org.br/dpoc-estimativa-e-que-12-da-populacao-adulta-tenha-a-doenca-2/
4. SBPT - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Fibrose Pulmonar Idiopática. Disponível em: https://sbpt.org.br/portal/publico-geral/doencas/fibrose-pulmonar-idiopatica/